• 22/06/2017
  • 0 Comentários
  • POR Polifrete

A importância dos KPI’s na área de Logística

 

Os Indicadores Chave de Desempenho  ou Key Performance Indicator – KPI em inglês, servem para avaliar e medir o nível de desempenho de processos chaves para a empresa. Eles são muito utilizados pela alta gerência para direcionar os esforços dos colaboradores e funcionários para a melhoria dos índices mais importantes.

Únicos para cada empresa eles devem refletir a estratégia da mesma. Assim, na área de logística, para algumas empresas um indicador importante será relacionado ao tempo, enquanto para outras será o custo ou a qualidade. Os indicadores de desempenho devem ser usados não apenas para avaliar processos internos, mas também os processos externos, avaliando os parceiros da cadeia de suprimentos.

Manter um acompanhamento destas métricas permite avaliar a performance ao longo do tempo, e assim compor um benchmarking interno, para que os índices melhorem a cada período. Assim, a empresa pode comparar-se com ela mesma no passado e através de estudos especializados conhecer os valores dos indicadores para o setor de atividade e então comparar-se com os concorrentes.

Enfim mais importante que medir e acompanhar os números é agir para a melhoria dos mesmos e para a correção de eventuais falhas encontradas nos processos avaliados.

Na logística existem inúmeras possibilidades de composição de KPIs, por isso, seguir as recomendações do Blog Polifrete pode ser importante para o sucesso da empresa. Confira as 10 dicas que o Blog Polifrete pesquisou para você elaborar bons KPIs e se possível aplicá-los em sua empresa:

1 – KPIs devem refletir direcionadores de valor estratégico: Exemplos de direcionadores de valor podem ser “alta satisfação do Cliente” ou “excelência na qualidade de um produto”.


2 – KPIs são definidos por Executivos:
Executivos definem os direcionadores de valor em reuniões de planejamento, onde determinam o direcionamento estratégico da empresa, no curto, médio e longo prazos. Não é possível gerenciar aquilo que não é medido.


3 – KPIs devem fluir ao longo da empresa:
Como “executivos”, é necessário que eles realizem sessões de planejamento estratégico e identifique direcionadores-chave de valor, objetivos e planos para o seu grupo.


4 – KPIs são baseados em padrões corporativos:
A única forma de fazer com que um KPI flua ao longo de uma organização é através da criação de padrões de medição.


5 – KPIs são baseados em dados válidos:
Antes de optar pela utilização de um determinado KPI é necessário saber se a informação existe e qual a sua precisão.


6 – KPIs devem ser fáceis de serem compreendidos:
Os KPIs devem ser de fácil entendimento. Os colaboradores devem saber como calculá-lo e principalmente, o que fazer (e o que não fazer) para alcançar as metas pretendidas.


7 – KPIs são sempre relevantes:
É preciso auditar os KPIs para avaliar o seu uso e relevância.


8 – KPIs proporcionam contexto:
KPIs devem indicar a direção da performance, como acima, abaixo ou estático.


9 – KPIs criam “empowerment” nos usuários:
Os KPIs devem ter uma recompensa atrelada a eles.


10 – KPIs conduzem a ações positivas:
KPIs devem gerar ações de melhoria conjuntamente.


Precisando contratar fretes? Conheça nossa
plataforma e utilize o nosso aplicativo Polifrete! Clique aqui para baixar

 

Encontre-nos também nas Redes Sociais:  


Twitter

Facebook

GooglePlus

Youtube

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.