• 29/01/2018
  • 0 Comentários
  • POR Polifrete

Sua tabela de fretes está otimizada? Veja como é feito o cálculo de frete

Muitos líderes ou empresários ainda são inseguros sobre como elaborar uma Tabela de Fretes que mantenha o equilíbrio da empresa. Essa é uma parte muito importante do serviço e que toda empresa precisa ter bem estruturada.

A Tabela de Fretes é a parte do contrato que indica quais os valores a serem cobrados por cada serviço que você oferece. Valores que vão variar de acordo com as tarifas que sua transportadora utiliza e para conseguir arcar com as despesas de seu negócio, é preciso saber o que é essa tabela, qual sua função e como ela deve ser construída.

O cálculo de frete por transportadoras é feito com base em diversas variáveis, já que o objetivo é cobrir os custos operacionais e ainda gerar lucro para a empresa. A complexidade que envolve a formação de preço faz com que muitos gestores se sintam confusos e tenham dificuldades para aprovar cobranças com a certeza de que o valor está correto.

Mas como é feito o cálculo de frete por transportadoras? O Blog Polifrete irá explicar melhor para você!

Por envolver muitas variáveis, o cálculo do frete por transportadoras é altamente complexo. São feitos diversos cruzamentos com as informações referentes ao serviço — que variam a cada transporte que é feito — e, de acordo com as características, chega-se ao valor ideal.

Fazer essas contas de forma manual é um exercício praticamente impossível, sendo demorado e sujeito a muitos erros. Para contornar esse problema, as empresas utilizam a Tabela de Frete que possuem todas as informações que são usadas pelas transportadoras para formar o preço do frete e ajudam a cruzar as informações referentes ao transporte e chegar a um valor mais preciso.

O cálculo de frete se baseia, principalmente, no tamanho do veículo, a distância percorrida e as características da carga (valiosa, perecível, entre outras). A cobrança do frete é mais complexa e envolve o peso, o espaço ocupado dentro do veículo, a distância, entre outros aspectos.Cada tipo de frete faz com que a cobrança seja feita de uma maneira diferente.

Métricas consideradas no cálculo de frete

Frete Peso: esse é um dos pontos mais complexos no que diz respeito ao fator de cobrança de frete. Ele é definido com a relação entre o peso bruto e o peso cubado dos itens, utilizando o maior valor entre eles para determinar a cobrança, ou seja, se o tamanho ocupado pela carga for maior que o seu peso físico, é esse número que é levado em consideração. O objetivo disso é fazer uma cobrança justa, haja vista que podem existir situações em que a carga é muito volumosa, mas pesa pouco (como algodão) e outras em que o item é muito pesado, mas ocupa um espaço pequeno.

Frete Valor: é calculado com base no valor apresentado na nota fiscal. Isso é importante para determinar se a carga é valiosa. No caso dos itens mais caros, os cuidados são mais específicos, principalmente no que diz respeito ao gerenciamento de riscos. Dependendo do caso, é necessário contar com serviços de escolta armada e todos esses fatores encarecem o frete.

Distância percorrida: um dos fatores mais óbvios no que diz respeito à cobrança de frete. A relação entre a distância e o valor cobrado são duas variáveis diretamente proporcionais, ou seja, quanto maior for o percurso, mais alto será o custo do transporte. A maior parte desse cálculo é baseada no gasto que se tem com combustível para fazer o trajeto.

Características do destinatário: se existe alguma dificuldade na entrega para o destinatário, ela também pode influenciar o valor final do frete cobrado. Caso o local seja perigoso, ou haja dificuldade no acesso, por exemplo, são cobradas taxas extras para a prestação do serviço.

Modal de transporte: apesar de uma boa parcela das cargas ser enviada via malha rodoviária, existem algumas situações em que é necessário contar com outros modais — como no norte do país, em que alguns trajetos são feitos por meio de balsa. Essas necessidades também influenciam na formação do preço do frete, fazendo com que ele seja maior.

Características da carga: existem outros tipos de itens que possuem características especiais, como é o caso de mercadorias perigosas, cargas vivas, perecíveis, entre outras. Nesses casos, é necessário contar com embalagens mais reforçadas, manuseio adequado, veículo adaptado e transporte rápido. Entre os exemplos que podemos citar dessa categoria, estão flores, medicamentos, obras de arte e alimentos.

Taxas específicas: Além dos fatores que já foram citados, a formação do preço do frete também envolve taxas, que podem, ou não, serem cobradas pela transportadora. Isso precisa ser verificado no momento da contratação, bem como os valores que são praticados. Entre as principais taxas cobradas no mercado, estão:

Taxa de coleta e entrega;

Taxa de restrição do trânsito (TRT);

Taxa de dificuldade na entrega (TDE): para locais de difícil acesso, perigosos, entre outros;

Taxa de reentrega: nos casos em que o cliente se recusa a receber no momento, ou se encontra ausente, e o produto precisa ser reenviado posteriormente;

Frete mínimo: definição de um peso mínimo para transporte — caso a carga não o alcance, é cobrado o valor mínimo de frete;

Gerenciamento de risco: área de conhecimento responsável por levantar possíveis ocorrências que podem alterar o curso das atividades e seus resultados, além de criar ações que ajudem a eliminá-las, ou minimizar seus impactos.

Outras cobranças básicas que também são feitas pela transportadora:

GRIS: uma taxa que incide sobre o valor da nota fiscal da carga que tem em como objetivo cobrir todos os custos que envolvem ações de combate ao roubo de cargas, além da prevenção de riscos relacionados ao transporte;

Ad Valorem: espécie de seguro que visa acobertar as cargas quando elas não estão em trânsito;

Tributos e pedágios: podemos incluir nessa conta a cobrança dos tributos — como ICMS — e os pedágios que envolvem a operação de transporte.

Enfim, com uma tabela de fretes bem estruturada será mais difícil você ter prejuízos na receita de sua transportadora, pois ela é quem vai pagar toda ou grande parte dos recursos que sua empresa precisa para se manter e oferecer o serviço. Cálculos errados na tabela ocasionam prejuízos e podem fazer com que a empresa não seja mais capaz de honrar seus compromissos, comprometendo a qualidade dos serviços prestados e a perenidade do negócio no mercado, por isso, é essencial garantir que todo o processo flua sem erros.

Faz cotação de fretes ou negocia por tabela? Conheça nossa plataforma e automatize esse processo! Clique aqui e solicite uma demonstração.

Encontre-nos também nas Redes Sociais:  

Twitter

Facebook

GooglePlus

Youtube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *