• 31/05/2017
  • 0 Comentários
  • POR Polifrete

A importância das mulheres na logística


Desde os primórdios de aplicação prática e planejamento no setor logístico, falar de mulheres na logística sempre foi um tema com resistência, já que é visto como um território habitado por homens.

Isto decorre principalmente pelo seu surgimento, que ocorreu primariamente no meio militar.

Com a adaptação das técnicas de logística para o meio empresarial não foi diferente. A evolução da logística empresarial foi iniciada na década de 70 através do transporte de produtos, passando para a armazenagem na década de 80 e produção na década de 90. Todos eram considerados “territórios profissionais masculinos”.

 

A entrada das mulheres na logística

A partir da segunda metade dos anos 90, a logística empresarial passou de uma função meramente operacional para uma função tática. Deixou de ser braçal para ser estratégico e planejado. Com isso, o sexo feminino passou a conquistar cargos altos e de boa visibilidade, e não era para ser diferente, há estatísticas que apontam que a mulher possui melhor capacidade de trabalhar em equipe, gerenciar conflitos, conciliar vida pessoal e profissional e claro, também estão se esforçando cada vez mais e dando o melhor de si para se qualificar e receber o mesmo reconhecimento que o público masculino. Simplificando: mulheres na logística planejam tão bem, ou muito melhor que os homens.

Porém, apesar de todo o desenvolvimento e dedicação de cada guerreira que almeja o sucesso, ainda é escutado com certa freqüência os termos: “ Mulher na logística é estranho”, “ Uma consultora?”, “ELA que vai realizar o projeto?”, entre outros termos que enfatizam a participação do funcionário por ser do sexo feminino. Mas elas não se abalam e muito menos descem do salto, pelo contrário, tomam isso como impulso para serem cada vez mais respeitadas como mulheres de negócios, empreendedoras, líderes e gestoras competentes das variadas áreas da logística. E é para isto se realizar com maestria que o sexo feminino vem se inserindo cada vez mais nas universidades em busca de curso capacitantes, tais como a logística.

 

A presença das mulheres nos cursos de logística

Nos cursos e disciplinas relacionadas a logística e indústria é possível constatar um aumento expressivo da presença feminina, não apenas física mas também da sua inteligência. Curiosamente (ou não), há um certo tempo tenho verificado que as mulheres estão se tornando a elite da logística nas salas de aula, evidenciados pelas suas notas e apresentações de trabalhos.

 

Na prática

Entre 2006 e 2015, o número de colaboradoras em diferentes cargos, disparou na JSL, uma das maiores empresas de logística do Brasil. De motoristas a gerentes, elas mostram que com capacidade e talento é possível vencer em qualquer mercado competitivo, independentemente de gênero

Em 2006, eram 365 profissionais do sexo feminino. Até dezembro de 2015, o número chegou a 3.696 contratadas, nos mais diferentes cargos. São aprendizes, assistentes, analistas, técnicas, coordenadoras, supervisoras, gerentes, entre muitas outras funções em toda a hierarquia da JSL. As motoristas também estão lá. São 76 mulheres que assumem o volante de ônibus e caminhões, além de mecânicas e operadoras de equipamentos pesados, como empilhadeiras.

Tudo isso nos mostra o quanto o sexo feminino está em ascensão nas áreas de logística, tão quanto no mundo dos negócios que um dia foi dominado por homens. Portanto, podem confiar no trabalho destas mulheres, pois em geral a resposta é unanimemente positiva, e o resultado é sempre melhor do que o esperado.

 

CTA-infografico-logistica-brasil-numeros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *